Qualquer novo projeto de aplicativo parte de um objetivo de negócio que pode ser um canal para promover engajamento, imersão de conteúdo da marca ou para proporcionar conversão por este canal. Esse app pode ter inúmeras formas de se manifestar para cumprir com o seu papel e deve ser concebido por um ponto central: o usuário. 

O usuário é a engrenagem que vai fazer a roda girar: o seu projeto de alguma maneira tem que atender as expectativas e dores dessa pessoa que vai utilizar o app da sua empresa. Você precisa se perguntar sobre quais problemas quer resolver e quais facilidades quer levar para a vida de seu público-alvo e muito mais que isso: buscar as respostas junto dos usuários para elaborar um produto que realmente faça sentido e tenha por consequência excelentes taxas de retenção na utilização do app. 


Como entender a vida do seu usuário?
O ponto de partida pode ser pelo mapeamento das dores que o usuário alvo do seu app possui, tanto do produto que você já oferece atualmente – caso esteja trabalhando em uma melhoria – ou de modo mais amplo, um problema que foi identificado e que pode ser resolvido por intermédio do desenvolvimento de um aplicativo. 

Uma das maneiras de ter um ponto de partida é realizar uma pesquisa utilizando plataformas digitais de pesquisa. Você pode coletar informações poderosas através de uma pesquisa quantitativa com uma amostra considerável de seu universo e validar os pontos mais importantes através de uma abordagem qualitativa em um segundo momento, com um grupo menor de usuários. 

Outra forma que você pode validar suas ideias é através da observação. Provoque a situação para visualizar o usuário em atividade no processo que você quer resolver para ele. Esse método é conhecido como pesquisa etnográfica, e é o formato usado quando o pesquisador observa in loco como o usuário reage diante de determinada situação.

E se você quer ter um documento com o suporte de seus usuários para validar seu planejamento, você pode usar a técnica de Diário. Dessa forma, você tem documentado as percepções que o usuário teve ao usar o seu aplicativo ou quando passou pode determinado serviço ou experiência de compra. Se o seu usuário cooperar – que neste caso você depende que ele lembre de realizar as anotações – você terá valiosos insights.

Sobre qual das opções escolher, não temos como afirmar qual seria ideal. O importante é ter em mente de que a maneira que você vai buscar informações de seus usuários depende de três variáveis: o tempo que você tem para o desenvolvimento do projeto, da equipe envolvida e a verba disponível.

Protótipos validados por usuários valem ouro
Você realizou algumas frentes de pesquisa com seus usuários, compartilhou com outras áreas seus insights, planejou o app para que pudesse atender os anseios de seu público-alvo e agora você já visualiza o protótipo! Esse é o momento crucial no qual seu usuário precisa ser envolvido. 

Muitas vezes alguns protótipos fazem muito sentido para quem está o projetando, mas determinada escolha de cores ou posição dos elementos do layout podem passar despercebidos pelo usuário final ou serem confusos na prática. Validar o protótipo, ou algumas versões de um mesmo protótipo, com um grupo de usuários faz com que seu projeto seja aperfeiçoado e otimizado antes mesmo da primeira publicação. Investir alguns dias no cronograma de desenvolvimento do app para essa ação faz muita diferença no produto final. 

E depois que seu app está publicado e seus usuários estão consumindo o conteúdo disponibilizado por este canal, você pode acompanhar o comportamento dele ao utilizar o aplicativo por meio do Firebase. Essa ferramenta pode te mostrar como está o uso dentro deo aplicativo por exemplo: quais recursos são mais utilizados, quais itens tem mais interação e tempo de navegação. 

Para encerrar, queremos reforçar: não importa se você está trabalhando em uma melhoria ou fazendo um app do zero. Trazer seu usuário para perto fará com que seus objetivos sejam facilmente mais alcançados e que seu usuário se torne um heavy user de seu app! Afinal, foi feito especialmente para ele.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *